quarta-feira, 31 de agosto de 2011

Relax....

Frase idiota do dia

Quem sair por último que apague a luz.

Instalaram as placas


Perguta Cretina 1

O que você faria após eleito com o camarada que fez um aval de 300.000, na reta fina da campanha anterior em seu favor?

a) Chamaria ele de volta e pedia perdão
b) Que se dane vá pra onde quiser
c) Não importa dessa vez eu tou "bamburrado"
d) NDA

Atenção Estudantes Universitários

Amanhã às 09:00 horas da manha na Câmara Municipal de Apodi acontecerá reunião da classe estudantil com os vereadores, por isso se faz necessária a presenta de todos, para juntos chegarmos a um consenso.
Recapitulando, já se faz mais de uma semana que o ônibus Apodi-Caraúbas destino UFERSA está paralisado e imaginando que as coisas não poderiam se tornarem piores, acabo de tomar conhecimento do valor da mensalidade para o uso do transporte que é de R$ 45,00, quase o mesmo valor pago por aqueles que fazem a rota Apodi-Mossoró (R$ 50,00), só com uma diferença, o percurso feito para Caraúbas é muito menor do que o outro.
Vamos esclarecer essas e algumas outras anomalias que acontecem com a desprezada classe universitária de Apodi.
 
Copiado do ApodiBaixodopano

terça-feira, 30 de agosto de 2011

Renovação

Paulo Viava, Geruciano Rodrigues (O`Pancada) e Leandro Maia
 
Desde de sua fundação em Apodi, o PC do B sempre vem mudando a sua direção, já foram presidentes da agremiação: Geraldo Carlos, Gilvan Alves, Flaviano Monteiro e hoje Paulo Viana. Esse tipo de prática mostra o nivel de confiaça, capacidade e pluralidade dos quadros do partido que sempre esta disposta a colaborar com o processo de revolução em curso em Apodi.
Foto Sildo

terça-feira, 23 de agosto de 2011

Planejamento em obra pública é ficção

Quase todas as obras públicas executadas no Brasil não terminam como planejadas. No meio do caminho, os prazos são estendidos, as tecnologias alteradas, os materiais de construção trocados e os preços, elevados. Em alguns casos, até as empreiteiras contratadas são substituídas. Um efeito claro da falta de planejamento do País para tirar projetos importantes do papel e que recai sobre a sociedade.
Cada mudança feita no empreendimento representa não só o encarecimento da obra como também uma privação da população, que não pode usufruir dos serviços, como a duplicação de uma estrada ou a expansão de uma rede de esgoto. O setor de transportes é um dos campeões em alterar características básicas de projetos licitados.
Levantamento feito pelo Estado em 2,2 mil contratos mostra que, entre 2008 e 2010, o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) publicou quase 3 mil aditivos para modificar condições de serviços e obras contratadas. Na média, todos os contratos passaram por algum tipo de mudança durante a vigência (1,4 alteração). Em 2008, foi 1,81 mudança; em 2009, 1,48; e em 2010, 0,67.
A redução do número de aditivos nos dois últimos anos deve-se ao fato de a maioria das obras e serviços ainda estar em execução. Até o fim do contrato, a média tende a alcançar (e ultrapassar) nível semelhante ao de 2008, que tem boa parte dos contratos encerrados.
Apesar de a média ficar na casa de uma mudança por contrato, há obras que têm 11 aditivos. Até obras corriqueiras, como a manutenção de uma estrada ou a construção de uma passarela, que deveria ser tarefa simples para o Dnit, passam por uma série de mudanças no decorrer do contrato. Na BR-282, em Santa Catarina, por exemplo, a recuperação da pista exigiu seis aditivos, que prorrogaram o prazo em um ano e elevaram o valor dos serviços em 72%.
Segundo o Dnit, o aumento é decorrente de adequações nos volumes de materiais para a obra e da extensão do prazo em 365 dias. Um outro caso é a ampliação de uma ponte na BR-101, no Espírito Santo. O prazo da obra foi alterado quatro vezes, atrasando em mais de um ano a conclusão. O valor do projeto subiu 24,5% - de acordo com a lei, os preços podem ser aumentados em até 25% por meio de aditivos.
Os exemplos de alterações em projetos também podem ser conferidos no Diário Oficial, que publica todos os dias centenas de aditivos. Também podem ser verificados numa rápida análise dos empreendimentos incluídos no Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). Quase toda a extensão da BR-101, no Nordeste, uma das principais obras do programa, foi submetida a mudanças. Na Paraíba, o cronograma previa o término das obras em 2009, mas até agora ainda há trechos em construção. O Tribunal de Contas da União levantou uma série de práticas com indícios de irregularidades.

Texto enviado por Gilvan Alves

sábado, 13 de agosto de 2011

Frase idiota do dia

Você só queria meu voto era?

Voltou a ser o Velinho Bom?

Nesses dias próximos de 2012, onde o mundo pode acabar, vivemos um momento ímpar, o "Velhinho Bom" que mesmo tendo sido, três vezes prefeito foi convidado a sair do seu ninho de origem, lhe tomaram seu local de trabalho onde prestou relevantes serviços e nem se quer foi reconhecido, a última foi a comemoração efusiva e recheada de críticas e chacota ao seu genro que por pouco não se elegeu. Agora como se tivessem passado uma borracha o querem de volta, emissários batem a sua porta quase que todo dia sempre falando a mesma frase "-ele quer falar com você". Será que o Velhinho irá baixar a cabeça e voltar aos braços de que o desprezou ou trilhar um novo rumo? só o tempo dirá....

terça-feira, 9 de agosto de 2011

Frase idiota do dia

Tudo muda, até a cor da morada muda!

Prestação de Contas com Transparência

Em fim o município de Tangamandápio vai mostrar a toda a sociedade uma prestação de contas detalhada, onde todas as despezas de salários, gratificações alugueis, diárias e compras em geral serão mostradas, clique aqui e veja.

segunda-feira, 8 de agosto de 2011

Ferrorama do morrinho


Fala, Zé! Passamos a semana toda ouvindo a mesma ladainha: “Ih! É o trem bala…”, “Vocês vão ver só”, “Diego Souza vai fazer, acontecer” coisa e tal. Falaram até que o v4sco era favorito e que o Fogão seria atropelado pelo trem… Pode parar com esse “mimimi” pra vender camisa. Que trem bala da colina? Pra mim, o que enfrentamos ontem não passou de um ferrorama do morrinho, que chegou na linda Estação do Engenho de Dentro e ficou paradinho, boquiaberto, admirando o Estádio mais moderno da América Latina e o ataque Mercosul do único Alvinegro Glorioso da Guanabara. Viram aí? Para os falastrões de plantão, esse Clube que sapecou os bigodudos do Rio sem perdão, ontem no Niltão, é o BOTAFOGO. Time que não precisa de apelido de modinha, pois só o seu nome tradicional já desperta medo e respeito. Leia de novo: B-O-T-A-F-O-G-O. Com todas as letras. Foi lindo demais, Zé. Vivemos ontem uma conjunção de fatores que conspiraram a favor da esculachada no v4sco: a merecida homenagem ao grandessíssimo Mário Jorge Lobo Zagallo, a estréia da nossa nova farda de batalha, a saída da âncora – Alessandro – da equipe titular (por que demorou tanto?)… O que mais precisava para marcar uma virada de folha definitiva no campeonato do Botafogo? Uma goleada. E ela veio na hora certa.
O pontapé inicial… Ah! Desculpa. É muito pouco chamar aquilo de pontapé inicial, haja vista a importância histórica do protagonista em questão. Então vou tentar: A penteada talentosa e pioneira na redonda do jogo de ontem, foi do Zagallo para o Loco Abreu. Também, com uma assistência assim, o nosso camisa 13 só podia mesmo brilhar. E já que somos reconhecidamente supersticiosos, deixo aqui um registro que vale a sua atenção: “v4sco de quatro” tem 13 letras! Que alegria. O 1º tempo já disse a partida. Logo aos 10 minutos de pressão Alvinegra, o Renato cobrou um escanteio com carinho, na cabeça do Antônio Carlos. A porteira foi aberta com gosto. 1X0 pra inflar o grito das arquibancadas. Em seguida, o agudo lateral Cortês (se tentar descrever o tamanho do futebol que anda jogando, vou ficar teclando 5 dias sem parar) foi pra cima dos portugas que jogam com o cinto de segurança afivelado. Ele deixou o Herrera na cara do gol. O argentino se afobou, perdeu o chute e na sobra o Loco mostrou porque é fundamental quando se precisa de um atacante. 2X0 para nos animar ainda mais dentro de casa. É assim que ninguém cala. Antes do intervalo, o Abreu ainda estufou o filó novamente, com raiva e no canto. 3X0 e a nossa vontade era: vira 3, termina 6.
O segundo tempo só serviu pra impor ainda mais o domínio da Estrela Solitária em campo. Nem a expulsão do camisa 10 deles diminuiu o nosso mérito. O Fogão administrou a vitória com maestria e tranquilidade. Até bola na trave o uruguaio mais Loco de General Severiano colocou. Ficou claro que o v4sco Abreu as pernas pro Fogão meter de quatro. Hahahaha! No finalzinho, para coroar a grande partida do Renato, ele teve o privilégio de entregar mais um gol, só que dessa vez pro Herrera. Pronto. Estava liquidada a fatura. E agora quem quiser bolinho de bacalhau no Habib`s (lanchonete preferida do melhor lateral esquerdo do Brasil), é só pedir pelo número QUATRO. Fácil, fácil. O v4sco ainda têm a cara de pau de dizer que têm uma zaga de seleção. Desde criança que, pra nós, Dedé é uma figura que só serve para fazer rir. Ontem ele manteve a sua referência de homônimo. Um brinde ao belíssimo futebol apresentado por Cortês e Renato. O primeiro, com uma vontade de garoto faminto, jogou demais, marcando e indo pra cima com valentia. Esse merece muito quibe e esfirra como prêmio. O segundo, com a experiência de um comandante, achou os atalhos do campo e chegou inteiro em todas as jogadas. Eu digo que valeu. Pode aplaudir, Zé, porque hoje todos estão de parabéns: Palmas pro Glorioso!
Sei que o momento é bom, temos que valorizar o Clube, mas por coerência de pensamento eu não posso deixar de fazer uma cobrança. Até anteontem, a justificativa para não deixarmos o Niltão mais Alvinegro era de que – por contrato – não era permitido descaracterizar as cadeiras do estádio. Ontem, surpreendentemente, elas começaram a ficar vermelhas, com a cara de um patrocinador. Como assim? Se o Niltão pode ter espaços para ganharmos dinheiro – que é importante – também deve ter vários espaços com a nossa cara: PRETO E BRANCO. A diretoria nos deve explicações. Quarta-feira, com o clima pra lá de positivo no grupo, vamos começar mais uma competição internacional. E o adversário da vez é logo o nosso freguês, o galim de minas. Vamos sapecar mais um. El Loco, neles! Abraço, Zé!

Copiado fo Blog do Fogão Globo.com

quinta-feira, 4 de agosto de 2011

Espaço urbano em transformação

É possível perceber as mudanças no espaço urbano que são frutos das mudanças econômicas, a cidade de Apodi observa seu meio urbano se refazendo e criando novos espaços, uma das antigas casas da Rua Nossa Senhora da Conceição, está bem próximo de ter suas feições modificadas, bem como sua função espacial transformada, aos poucos o "antigo Apodi" vem dando lugar ao novo. Em um processo rápido continuo produto da ação do homem.

Ninguém briga na política de Apodi


Por -JOSÉ DE PAIVA - De Apodi- Jornal de Fato

Por enquanto ainda não há adversários na política de Apodi. Se depender dos pré-candidatos, as diferenças do passado ficaram lá mesmo e agora tudo é possível, independentemente de cores ou cartilha. A impossibilidade de união parece mesmo acontecer apenas entre o professor Flaviano Monteiro (PC do B) e a prefeita Goreti Pinto (PMDB), que não abrem mão de seus projetos políticos.


O racha no PMDB que afastou da situação o articulador político, Agostinho Pinto, foi um episódio à parte. Porque, ao brigar com o primo, Klinger Pinto, esposo da Prefeita e presidente do partido, Agostinho foi procurar abrigo na casa do antigo opositor, ex-prefeito José Pinheiro Bezerra (PR). Teria sido ele quem articulou, recentemente, um encontro do ex-prefeito com Flaviano, esquentando os bastidores políticos da cidade.

Mas nem isso foi suficiente para acirrar os ânimos. O encontro teria sido arranjado para viabilizar uma aproximação entre as duas lideranças com vistas a uma dobradinha em 2012. Mas o professor Flaviano disse apenas que cada um deve viabilizar sua candidatura para ver no que dá.

Se depender de Pinheiro, "as portas estão abertas". Com isso, o velho político de 40 anos de experiência quis dizer que está apto a conversar com todo mundo, até mesmo com seu maior desafeto, Klinger Pinto, responsável pela sua saída do PMDB nas prévias da campanha municipal de 2008. Pinheiro assegurou, inclusive, que "é possível sair como vice" numa chapa, mas isso foi desconversado por um de seus assessores.
Pinheiro está sendo considerado um peso importante para a próxima campanha. Alguns arriscam dizer que ele pode ser o "fiel da balança", e até mesmo ele crê nisso. "Às vezes quero acreditar que não sou, mas é tanta conversa que chego a acreditar", disse.

Para o ex-prefeito, a gestão de Goreti "podia estar bem melhor", mas essa foi a maior crítica que fez a atual gestão. Já com relação à antiga rixa com o PMDB, ele até amenizou dizendo que "Agostinho nem teve tanta culpa" e mesmo Klinger, que forçou o racha, não foi tão responsável quanto o senador Garibaldi Filho, atual ministro da Previdência Social, que também será perdoado.

Pinheiro está disposto a abrir mão dessas más lembranças e conversar com todos. Do seu lado já estão nomes que até ontem pareciam impossíveis. O grupo Democrático é formado pelo seu PR, pelo PV da ex-vereadora Dagmar Suassuna, mas também pelo PSB do ex-prefeito Simão Nogueira Neto e o PSDB do empresário Dalton Filho. Neste grupo está ainda o contador Fanfanta Duarte, cunhado e principal articulador do grupo do vice-prefeito Vandinho Marinho.

A presença do DEM

No meio de tudo isso, ainda aparece o Democratas. O presidente, Batista Araújo, é outro que se dispõe a conversar com todo mundo. O partido aproveita a boa situação no Estado para se reestruturar, trazendo de volta lideranças como a ex-diretora da Dired, Raimunda Ferreira Freire, a "Mundinha", e a médica Solange Noronha.

Batista enfatizou a preferência pelo projeto de Flaviano, mesmo ainda sendo aliado da prefeita Goreti, mas deixou claro que preferência não é decisão. "Na campanha passada também tínhamos essa preferência, mas na hora de fechar a conversa foi outra", esclareceu.
A boa relação do professor com o DEM pode ter outros interesses, como o de atrair a governadora Rosalba Ciarlini para o palanque da oposição, uma vez que já conta com o apoio do vice-governador Robinson Faria, do PSD, partido do empresário José Maria da Silva, que foi candidato a vice em sua chapa.

Pinheiro entre o PMDB e o recente PSD
 
A especulação de que Pinheiro pode vir a ser o "fiel da balança" está na escolha que ele fará nos próximos meses. O ex-prefeito quer deixar o PR do atual vice-presidente da Câmara, Evangelista Câmara, mas está dividido entre dois ou três partidos. Ontem ele não descartou a possibilidade de voltar para o PMDB, esquecendo de vez toda a confusão do passado. Recentemente um enviado de Klinger andou conversando com ele, mas Pinheiro disse esperar o momento certo para conversar com próprio. "Ainda existem feridas", afirmou Pinheiro, repetindo em seguida que, mesmo assim, "as portas estão abertas".

Um dos assuntos discutidos na reunião com o professor Flaviano Monteiro teria sido a possibilidade de ingresso no PSD, de Robinson Faria. No entanto, nem um retorno foi dato até o momento. Flaviano disse que a conversa tinha ido para outro lado, por isso não deu retorno. "Até porque quem decide sobre o PSD é José Maria", adiantou. Zé Maria, por sua vez, disse que não foi comunicado sobre a conversa, mas que "Pinheiro será muito bem vindo".

Há quem diga ainda que qualquer mudança de partido depende de seu genro, suplente de deputado Kelps Lima. Pinheiro estaria negociando com ambos os partidos para que este fosse convidado a assumir algum cargo no primeiro escalão ou mesmo na própria Assembleia Legislativa. O ex-prefeito negou que isso estivesse acontecendo e afirmou, categoricamente, que "a situação de Kelps não influencia em Apodi".
Pinheiro também pode ingressar no DEM, possibilidade que não foi descartada por Batista Araújo. Isso porque o ex-prefeito votou e apoiou o senador José Agripino na última eleição.

Mínino e máximo